Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 8 de abril de 2012

Música para Todos

MÚSICA PARA TODOS
(Neide Medeiros Santos – Crítica literária – FNLIJ/PB)

A música é a arte mais direta, entra pelo ouvido e vai ao coração... É a língua universal da humanidade.
(Astor Piazzolla. Músico e compositor argentino).

Uma viagem pelo tempo através da música e dos compositores é a proposta de Monika e Hans Günther Heumann no livro “Uma história da música para crianças” (Ed. Martins Martins Fontes, 2011). A apresentação do livro é do maestro brasileiro Isaac Karabtchevsky. A tradução ficou a cargo de Tereza Maria Souza de Castro e as ilustrações são de Andreas Schümann.
Isaac Karabtchevsky regeu durante muitos anos e Orquestra Sinfônica Brasileira (Rio de Janeiro), atualmente é o regente da Orquestra de Heliópolis na periferia de São Paulo e diz com muito orgulho: “vivencio com alegria o quanto a música é revolucionária na formação de crianças e jovens”.
Para despertar mais interesse no leitor jovem, Monika e Hans Günther criaram duas personagens entusiasmadas por música – a menina Clara e seu irmão Frederico. As duas crianças vão passar as férias na casa dos avós e muito aprendem sobre música, sobre a vida dos compositores. As informações vão desde a Idade da Pedra até os tempos modernos. São bem interessantes os diálogos entre os avós e os netos.
Vamos iniciar nossa viagem com alguns fatos interessantes a respeito da origem da música e sobre os instrumentos musicais antigos.
A origem da música é atribuída ao ritmo de muitas atividades como bater os pés, bater com paus ou pedras e a imitação dos sons dos animais, principalmente os sons dos pássaros. Dentre os instrumentos musicais mais antigos, destacam-se os apitos de falange, feitos de patas de renas, as flautas com até cinco orifícios, os chifres de animais e conchas. Mais tarde surgiram os tambores (4 mil anos a.C.).
Na segunda viagem no tempo, vamos conhecer um pouco das civilizações antigas (por volta de 3 mil a.C.). Os instrumentos encontrados nas escavações, textos de registros antigos, o trabalho dos arqueólogos e a Bíblia demonstram quais eram os instrumentos dessas civilizações. Na Mesopotâmia, havia lira, harpa e alaúde, flauta, charamela dupla, trombeta e instrumentos de percussão (claves ou bastões sonoros, chocalhos e tambores). A chamarela é um instrumento de sopro oriundo da Arábia, assemelha-se a uma flauta. As músicas eram tocadas nos ritos religiosos, em torneios, nas danças, para acompanhar refeições e festas, nas ações militares e no trabalho.
Na hierarquia de uma sociedade, os músicos vinham logo depois dos reis. A música era considerada um bem valioso. Em caso de guerra, os músicos eram poupados, mas levados como “saque” para enriquecer a cultura musical do conquistador.
As civilizações do Egito, China, índia, Grécia e Império Romano cultuavam a música.
Na Idade Média, por volta de 600 -1400, vamos encontrar a música sacra, os menestréis e muitos instrumentos musicais, entre eles o órgão. A rabeca e a viola de roda surgiram nesse período.
O Renascimento abrange um período que vai mais ou menos de 1400 a 1600. A música sacra e a profana conviviam pacificamente. No centro da música sacra, estava a missa e o moteto. Moteto é um gênero musical polifônico. A música profana utilizava a língua de cada país. Na França, eram as chansons, na Itália, as canções italianas. No século XVI, com Martinho Lutero, surgiu a música evangélica. Encontram-se importantes compositores renascentistas, entre eles Giovanni Pierluigi da Palestrina e Orlando di Lasso.
Chegamos ao Barroco e foi nesse período (1600-1750) que surgiu a ópera. O primeiro compositor de óperas foi Claudio Monteverdi. Em 1607, ele escreveu a primeira verdadeira ópera –“L´Orfeo” e o primeiro teatro de ópera foi inaugurado em Veneza. Uma das casas de óperas mais famosas do mundo fica em Milão, é o Teatro alla Scala. Não poderia esquecer que Johann Sebastian Bach, um dos maiores compositores da história da música, é do período Barroco. Ainda há de se destacar o nome de Georg Friedrich Haendel, autor de “O Messias”.
A quinta viagem no tempo passa pelo Pré-Classicismo e Classicismo (1720- 1820). Nessa época, vamos encontrar grandes músicos e grandes compositores. É a fase do império de Mozart e Beethoven.
A música romântica tem grandes representantes: Schubert, Schumann, Franz Listz e Chopin. Nos grandes salões, as valsas de Strauss pontuavam. Na Rússia, Tchaikovsky compôs lindas melodias e músicas para balé. Quem não se recorda de “O lago dos cisnes”? “O quebra-nozes?” São músicas inesquecíveis.
A música impressionista começou no início do século XX – 1900. Debussy, Manuel de Falla e Maurice Ravel são bons representantes deste período.
Chegamos ao fim da nossa viagem musical, era da Música Nova com uma variedade muito grande de instrumentos e de gêneros musicais. É a era do jazz, do rock, da música pop. Lembramos o nome de Astor Piazzolla. Ele incorporou ao tango um pouco de jazz e de música clássica.
Chamamos a atenção do leitor para alguns aspectos relevantes neste livro. Há seções que merecem um exame cuidadoso e citamos: “Vale a pena saber”, “Jogo da música” (com questões sobre o assunto apresentado) e “Um pouco de humor.” (fatos pitorescos da vida dos compositores).
Lembram-se do nome dos meninos que foram citados no início deste texto? Clara e Frederico. Clara pode ser associada à Clara Schumann, famosa pianista que foi casada com Robert Schumann; Frederico nos leva a Frédéric Chopin, importante compositor e pianista do período romântico.
Neste mês que se inicia – ABRIL - mês dedicado ao livro, fica o convite para a leitura deste interessante e instrutivo livro.

NOTAS LITERÁRIAS E CULTURAIS

A VEZ DAS ESCRITORAS SUL-AMERICANAS

O Prêmio Hans Christian Andersen 2012 (IBBY) foi divulgado na Feira internacional do Livro Infantil e Juvenil em Bolonha, no dia 19 de março. A vencedora foi a escritora argentina Maria Teresa Andruetto. Na área da ilustração, o vencedor foi Peter Sis, ilustrador tcheco. O ilustrador brasileiro Roger Mello ficou entre os cinco finalistas.
A escritora chilena Isabel Allende ganhou o Prêmio Andersen de Literatura. Este prêmio foi criado por uma fundação privada em colaboração com a Prefeitura de Odense, cidade de nascimento de Andersen. A entrega do prêmio será no dia 30 de setembro de 2012.

ABRIL- MÊS DO LIVRO

Dia 02 de abril – Dia Internacional do Livro Infantil – nascimento de Hans Christian Andersen.
Dia 18 de abril – Dia Nacional do Livro Infantil no Brasil – nascimento de Monteiro Lobato
Dia 20 de abril – Dia do Escritor Paraibano – nascimento de Augusto dos Anjos
Dia 23 de abril - Dia Mundial do Livro.
( Publicado no jornal "Contraponto", abril de 2012)

Nenhum comentário: