Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 9 de janeiro de 2011

Contos brasileiros e outros contos














Contos brasileiros e outros contos
( Neide Medeiros Santos – Crítica literária – FNLIJ/PB)
O valor do conto não é apenas emocional e delicioso, uma viagem de retorno ao país da infância.
( Luís da Câmara Cascudo. Contos Tradicionais do Brasil)

Lenice Gomes e Fabiano Moraes organizaram uma antologia de contos populares e deram o título de “Histórias de quem conta histórias.” O livro, com selo da Editora Cortez (2010), reúne 15 escritores contadores de histórias de diversas regiões do Brasil, de Portugal e do México.
Na apresentação do livro, os organizadores da coletânea celebram o poder e a força da Palavra e frisam que contar histórias implica em refazer as pegadas de memórias ancestrais.
Ciça Fitipaldi fez bonitas ilustrações na abertura de cada conto. Algumas ilustrações nos lembram as xilogravuras nordestinas, outras recriam o cenário fabuloso dos contos, mas todas trazem a marca dos traços da pintura primitiva.
Após a apresentação dos contos, aparece uma breve biografia do autor e seus trabalhos com a arte de contar histórias. Vários autores integram grupo de contadores de histórias no Brasil e se destacam no cenário internacional, participando de simpósios, concursos de contadores de histórias. Lenice Gomes e Fabiano Moraes comparecem com os contos “ O papagaio real” e “Os compadres corcundas”.
Divididos em quatro partes, os textos foram agrupados em: “Lendas de perto e de longe”, “Contos de assombrar e de arrepiar,” “Histórias de fadas e outros encantos,” “Contos de esperteza e de sabedoria. “
No grupo “Lendas de perto e de longe”, destacamos “La leyenda de Popocatepetl e Iztaccihuatl”, recolha de Marcela Romero García. Essa história se passa muito antes da chegada dos espanhóis nas terras dominadas pelos astecas e fala sobre a coragem de um jovem índio tlaxcalteca que desejava libertar seu povo do jugo dos astecas. Ainda, nesse grupo, aparecem “ O véu encantado” e “Cobra Norato”.
“Contos de assombrar e de arrepiar” contém três histórias que falam sobre um ônibus fantasma, um corpo seco e a disputa entre um elefante e uma tartaruga.
“Histórias de fadas e outros encantos” envolve as narrativas denominadas por Câmara Cascudo de “contos de encantamento”. “O papagaio real”, recolha e recriação de Lenice Gomes, aparece com o mesmo título em “Contos tradicionais do Brasil, no livro de Câmara Cascudo. Esse conto foi recolhido, anteriormente, por Sílvio Romero com o título de “O papagaio do Limo Verde”.
Se compararmos os textos de Sílvio Romero, o mais antigo, o de Câmara Cascudo, posterior ao de Sílvio Romero, e o de Lenice Gomes, o mais moderno, iremos encontrar afinidades e divergências. Sílvio Romero apresenta-nos um texto narrativo, com poucos diálogos; Câmara Cascudo um texto sintético, com muitos diálogos; Lenice Gomes inova e nos traz um conto com linguagem mais dramática, aproximando-se dos contadores de histórias da modernidade.
“Contos de esperteza e sabedoria” reúne cinco contos que se caracterizam pela sagacidade de seus personagens. Não poderia faltar “Pedro Malasartes, conhecido pícaro dos contos populares.
Algumas das histórias selecionadas se assemelham a mitos e citamos “La leyenda de Popocatepetl”. A explicação dada para a origem do monte do Vale do México – “ La mujer Dormida” – se aproxima do mito.
Jung considera que os temas míticos são encontrados nas mitologias dos povos antigos ou entre grupos humanos primitivos, mas eles podem estar presentes nas estórias maravilhosas, nos contos de fadas e nos textos que atravessam o crivo das exigências racionais.
Este livro procura valorizar o papel do contador de histórias, figura importante na formação do futuro leitor. Gilberto Freyre e José Lins do Rego foram assíduos ouvintes de histórias contadas nos alpendres das casas de engenho. Sílvio Romero e Câmara Cascudo recolheram essas histórias de antigos contadores sertanejos. Lenice Gomes e Fabiano Moraes convidaram contadores modernos que procuram manter vivas essas histórias.

Nenhum comentário: