Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 12 de junho de 2011

leitura para os pequenos

LEITURA PARA OS PEQUENOS
(Neide Medeiros Santos – Crítica literária - FNLIJ/PB)


Acho que o maior prêmio para o escritor é o leitor que está longe e com quem você pode dialogar.
(Ana Maria Machado. Teia de Autores).

Uma leitora do blog “nastrilhasdaliteratura”, brasileira que reside, atualmente, na Escócia, passou um e-mail solicitando uma relação de livros infantis de autores brasileiros para o filho de três anos. Ela disse que tenta estimular o filho o mais que pode para que se interesse pela língua portuguesa. A criança ainda não sabe ler, está na fase de ouvir histórias e a seleção de livros que fizemos vale para todas as mães que têm filhos nessa faixa etária.
Por solicitação da Revista Crescer, elaboramos uma lista de bons livros para os pequenos que precisam de ajuda dos pais na hora da leitura. Aqui estão alguns dos livros selecionados para a revista, acrescidos de breves comentários.
1. Palhaço, macaco, passarinho. Eucanaã Ferraz. Il. Jaguar. Companhia das Letrinhas, 2010. (Obs. Este livro ganhou o Prêmio FNLIJ – Melhor Livro para Criança – 2011).
O palhaço, o macaco e o passarinho têm muitas coisas em comum – palhaço e macaco gostam de fazer macaquices, gostam de provocar o riso nas crianças e nos adultos. O homem deseja ser passarinho para sair voando, leve, leve. O cartunista Jaguar captou bem o texto curtinho de Eucanaã e fez ilustrações bem engraçadas, macaco e o homem estão sempre rindo. E o passarinho? Este só aparece de costas. Não, ele nem aparece, o que vemos é um homem com asas de passarinho voando.
2. Curvo ou reto. Ana Maria Machado. Il. Luísa Baeta. Global
Este livro ajuda a criança a descobrir que as coisas que nos cercam são sempre curvas ou retas. As ilustrações destacadas dão a dimensão dos objetos. A linguagem rimada agrada a criança que gosta de brincar de fazer rimas, isso ocorre, muitas vezes, de forma bem espontânea.
3. Dez patinhos. Graça Lima (Texto e ilustração). Companhia das Letrinhas.
Graça Lima se utiliza do recurso poético da parlenda para escrever e ilustrar esta historinha. São dez patinhos que vão desaparecendo pouco a pouco, ficam nove, oito, sete... até que não fica mais nenhum. A história não termina com o fim dos patinhos, eles retornam e tudo começa de novo. As ilustrações trazem a marca da delicadeza do traço de Graça Lima. Na última página do livro, aparece uma brincadeira bem divertida.
4. Palavrinha ou Palavrão. Karin Sá Rego. Il.Daniel Kondo. Companhia das Letrinhas.
Este livro apresenta um jeito gostoso de ensinar o que é onomatopeia. Esta palavrinha que parece um palavrão surge desde o início da história, mas, só, nas últimas páginas, as crianças descobrem o que é onamotopeia. Ela esteve sempre presente em todo o decorrer da narrativa, de forma imperceptível. É um livro que tem poesia, rima e muita alegria.
5. O Sol e O Vento. Júlia Alba. Il. Taline Schubach. Callis.
Toda criança gosta de apostar, de provar que é capaz de vencer. Este livro proporciona essa oportunidade. Quem é o mais forte – o vento ou o sol? O homem vai ser o elemento do desafio.
6. João das Letras. Regina Rennó (Texto e ilustração). FTD.
Todos os habitantes daquela cidade tinham uma profissão – havia o sapateiro, a doceira, a costureira, mas ninguém sabia qual era a profissão de João. Só quando a história termina o leitor fica sabendo - o ofício de João era escrever e fazer sonhar os leitores de seus livros.
7. A Paixão de A e Z. Alonso Alvarez. Il. Marcelo Cips. Peirópolis.
Este não é um livro que ensina as letras do alfabeto de A a Z, é uma história que une duas letras: A e Z. A letra A está sempre presente nas palavras, mas o Z pouco aparece, isso não impede que surja uma paixão entre as duas letras. Elas estão unidas e bem juntinhas na palavra NatureZA.
Dizem que quem conta história aumenta um ponto. Apresentei sete livros e sete é conta de mentiroso. Procurem ler a revista Crescer do mês de junho, lá irão encontrar muitas outras dicas de leitura. O número sete vai ser somado a outros. Entrou por uma perna de pinto, saiu por uma perna de pato e acabou-se a fama de mentiroso.

Nenhum comentário: