Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 19 de junho de 2011

Ruth Rocha: um arquipélago de histórias


Ruth Rocha: um arquipélago de histórias
(Neide Medeiros Santos – Crítica literária – FNLIJ/PB)

Eu disse o que eu acredito, eu disse sempre a verdade, eu acredito em justiça.
(Ruth Rocha)

Arquipélago é um conjunto mais ou menos numeroso de ilhas de vários tamanhos, agrupadas em determinados ponto do oceano, assim nos ensina o dicionarista Aurélio Buarque de Holanda. Ruth Rocha, por sua vasta e diversificada produção literária para crianças e jovens, pode ser comparada a um arquipélago de histórias.
Esta prolífera escritora já escreveu cerca de 150 livros que transitam pelo reino da ficção infantil e juvenil, didáticos, paradidáticos, dicionário, almanaque. Traduziu muitos livros para crianças e conquistou os mais ambicionados prêmios na área infantil – Prêmios da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), Academia Brasileira de Letras e três prêmios Jabutis.
Vamos conhecer alguns livros que habitam os arquipélagos de Ruth Rocha.
Marcelo, martelo, marmelo alcançou um milhão de exemplares, fato comparável ao livro O Menino Maluquinho de Ziraldo. O personagem principal dessa história é um menino que não está satisfeito com o nome atribuído a certos objetos e resolve dar nomes que apresentem uma motivação semântica, assim “colher” deveria se chamar” mexedor”; “leite”, “suco de vaca”; “casa”, “moradeira”. Neste livro, a escritora revela uma preocupação com a linguagem e o significado das palavras.
Boi, boiada, boiadeiro é composto por poemas inspirados nas telas do pintor naïf José Antônio da Silva. O cenário é o ambiente rural, com fazendas, plantação de algodão, arraial, fogueiras e louvações às festas juninas. A última estrofe do poema “Festa de São João”, rica em repetições (anáforas), vem marcada pela sonoridade e simplicidade de linguagem, características das cantigas populares:

Não há moça sem beleza,
Não há rico sem riqueza,
Em rio não há floresta.
Não há pasto sem capim,
Não há verso sem um fim,
Não há São João sem festa.

A série de livros “histórias de reis”, compreendendo: O reizinho mandão, O rei que não sabia de nada, O que os olhos não vêem e Sapo vira rei vira sapo denota uma escritora comprometida com o social. Esses livros vêm revestidos de muito humor. O quinto livro, Uma história de rabos presos, é posterior à série. Stephanie Noleto Siqueira, no ensaio “Reis! Quem são eles, afinal?” afirma que este último livro” ambienta-se na época contemporânea, mas o assunto central é o mesmo, a má gestão política.”
No rico universo literário de Ruth Rocha não faltam histórias ligadas ao feminismo. A mulher é apresentada sob um olhar diferente – é uma mulher com vez e voz. Os melhores exemplos dessa nova mulher podem ser encontrados nos livros Mulheres de coragem e Procurando firme.
A escritora também se voltou para os livros didáticos. Com a educadora e escritora Anna Flora, editou a coleção Escrever e criar... uma nova proposta: Redação, jogos, literatura. São livros voltados para as quatro séries do ensino fundamental que valorizam a leitura e a redação. O projeto teve ampla repercussão entre os professores e ganhou um dos mais importantes prêmios literários do Brasil – Jabuti 2002.
Monteiro Lobato apresentou a mitologia grega às crianças brasileiras nas décadas de 30 e 40 do século XX. Ruth Rocha se considera “filha de Lobato” e trouxe para meninos e meninas do século XXI a Odisséia e a Ilíada, atribuídas a Homero, epopéias antigas da literatura grega. São obras adaptadas. Esses livros receberam o selo Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, foram publicados pela Editora Companhia das Letrinhas.
Ainda há muitos arquipélagos cheios de livros de Ruth Rocha, eles precisam ser descobertos. As editoras FTD e Salamandra estão reeditando os livros de Ruth Rocha, vamos procurá-los nas prateleiras das livrarias, nas estantes das bibliotecas.
As crianças irão gostar das histórias de Ruth Rocha. Para os pais e professores, recomendamos a leitura do livro “Vendo a vida com humor. Estudos sobre Ruth Rocha” Org. Vera Maria Tietzmann Silva. Cânone Editorial.

Nenhum comentário: